Muito mais do que desfazer-se do dispensável e acessório, o minimalismo, em particular, a organização e decoração minimalista de interiores, tem como objetivo único e primordial, a criação de espaços desprovidos de qualquer tipo de confusão ou desordem.

1Regido pelo preceito de “Menos é mais”, o conceito minimalismo vê os seus ideais assentes em ideias como a funcionalidade, simplicidade, essencialidade e conforto.

Atentando agora nos aspetos que definem este conceito, aplicados à decoração, podemos identificar a procura por superfícies como paredes, chãos e tetos, libertas ou com poucos objetos, e pintadas de cores neutras – branco, cinzento e bege. Por sua vez, focando no aspeto da mobília, é bastante frequente que se opte apenas por peças de mobília consideradas essenciais em cada divisão, escolhidas tendo em conta a funcionalidade e utilidade para o dia-a-dia da pessoa.

Outro aspeto essencial é o facto de as casas serem desenhadas de forma a captarem o máximo de luz natural, que, em conjunto com os tons neutros das divisões, conferem a sensação de maior abertura e dimensão aos espaços.

2

A cor aparece ocasionalmente na decoração das superfícies, não necessariamente em cores muito chamativas, mas devido ao carácter neutro do resto dos espaços, quando está presente, qualquer cor será de se notar.

Atualmente, o minimalismo é um estilo adotado cada vez mais por quem procura encontrar um espaço onde se possa desligar de tudo, num sítio só seu e o mais
simples possível.